Reflexão Religiosa – A Reforma Protestante

Reflexão Religiosa – A Reforma Protestante
22 de novembro de 2016 Zwei Arts
Por Rev. Flavio Viola Machado

Em 31 de outubro de 1517, o monge alemão Martinho Lutero, afixou “95 teses” na porta da Igreja do Castelo, na cidade alemã de Wittemberg, com o propósito de iniciar um debate acadêmico que trouxesse a Igreja de volta à Bíblia. Este ato marca o início da REFORMA PROTESTANTE.

Os argumentos de Martinho Lutero eram contra a venda de indulgências por parte do catolicismo romano, em que o Papa oferecia perdão dos pecados para quem contribuísse financeiramente com as construção da grande catedral de São Paulo, em Roma. O discurso de alguns vendedores de indulgências era que “no exato momento em que se ouvia o tilintar da moeda caindo no cofre, uma alma era livre do purgatório”.

A Reforma Protestante adotou 5 pilares que caracterizavam os  pontos prinicipais da fé, ou os chamados “Os Solas da Reforma”, sobre os quais escrevo brevemente:

  1. SOLA SCRIPTURA (“Somente a Escritura”) – A Escritura é suficiente para assuntos de salvação e deve ser sempre autoridade final, e não filosofias e tradições de homem. A Bíblia, e somente ela, deve ser a regra de fé e prática do cristão. “Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mimo” (João 5:39).
  2. SOLUS CHRISTUS (“Somente Cristo”) – Somente Ele pode nos dar a salvação. É preciso que haja confiança na obra salvadora de Jesus, pois Ele é o único que nos conduz a Deus. “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai se não por mim” (João 14:6)
  3. SOLA GRATIA (“Somente a Graça”) – A graça de Deus é o que nos livra do peso do cumprimento da lei para alcançar a vida eterna. É o favor imerecido de Deus, que alcança, salva e transforma o pecador. A graça começa, continua e termina a obra de salvação no coração de uma pessoa. “… pela graça sois salvos…não de obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:8-9)
  4. SOLA FIDE (“Somente a Fé”) – A fé é o instrumento pelo qual nos apropriamos da salvação conquistada plenamente por Cristo. “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo…” (Romanos 5:1)
  5. SOLI DEO GLORIA (“Glória somente a Deus”) – Considerando que toda iniciativa na obra salvífica é de Deus e que não há no homem que o habilite à salvação, não há outra coisa a ser declarada, a não ser “Glória somente a Deus”. “ A Ele, pois, a glória eternamente” (Romanos 11:36).

Que a Igreja do século XXI esteja firmada nestes pilares da Reforma, reavaliando constantemente sua prática à luz da Palavra de Deus, a fim de que o nosso caminhar seja sempre coerente com o ensino Bíblico!

Rev. Flavio Viola Machado é Pastor Efetivo da Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo